A ridícula farsa do assassinato que não houve

Por: César A. Ferreira

Pode-se dizer que as autoridades ucranianas dispensam a companhia de humoristas, pois elas mesmas fazem humor… E muito. Nesta quarta-feira a piada veio ao mundo na forma da aparição do “jornalista”, até então assassinado, Arkadiy Babchenko…

A história é a que segue: no dia 29 ultimo, o SBU forjou o “assassinato” de Arkadiy Babchenko, cujo corpo teria sido encontrado pela sua mulher, no apartamento, crivado de balas… Menos de vinte minutos depois uma intensa cobertura de mídia canonizava a suposta vítima, e hostilizava Moscou, apontada como a mandante do assassinato. O mundo inteiro comprou a versão ucraniana que culpava Putin e a Rússia inteira pelo caso… E assim se deu com mensagens solidárias ao morto e hostil aos russos, dos Repórteres Sem Fronteira à BBC…

Farsa-ucraniana-1
A imagem da farsa de Arkadiy Babchenko e do SBU: o sangue provavelmente é molho de tomate. Imagem: Central European News.

Pois bem… Arkadiy Babchenko apareceu no dia 30, vivo, serelepe e pampeiro, com cara de parvo, que talvez lhe seja natural, ladeado pelo Chefe do Serviço de Segurança da Ucrânia, Ce pelo Procurador Geral,  Yury Lutsenko. A piada de mau gosto foi justificada como uma maneira de evitar que Arkadiy Babchenko viesse a ser eliminado por profissional, que segundo a SBU deveria receber US$ 30.000,00 pelo serviço. Desnecessário dizer que a versão ucraniana passou a carecer de crédito após o país inteiro ter sido feito de bobo pela mídia local, que realizou uma maratona de entrevistas e matérias sobre a vítima, pessoa sem qualquer brilho pessoal até então. O interessante, todavia, foi ver a ginástica intelectual de repórteres e colunistas europeus e norte-americanos em vista da farsa quando revelada. Frank Gardner, correspondente da BBC afirmou ter sido um “engano” que turvaria o caso Skripal... Não se vê em Gardner a indignação natural de ter sido feito de palhaço. Ah! Se fossem os russos…

Os russos, por óbvio, irão tirar proveito desta trapalhada e acusar outra, desta vez britânica, no caso Skripal, afinal, pessoas que nada sabem sobre agente de nervos podem comprar o fato de que existem vitimas que se recuperam em um hospital após expostas a um gás mais poderoso que o agente de nervos VX, mas, que conhece sobre o assunto sabe que ninguém exposto a um agente desta natureza sobreviveria… A farsa britânica não é tão grotesca, é mais elaborada e blindada pela mídia ocidental, mas ainda assim é uma farsa.

 

Anúncios

2 comentários sobre “A ridícula farsa do assassinato que não houve

    1. Com precedente, ou não, a farsa evidente continua em questão , dado que a encenação ensejou uma série de atos de hostilidade flagrante contra um terceiro país, no caso a Federação Russa. A credibilidade da Ucrânia como nação, que já não era grande coisa, escorregou para o esgoto. Não tem volta.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s