RPDC lança novo míssil com sucesso

Por: César Antônio Ferreira

A República Popular Democrática da Coréia, mais conhecida como Coréia do Norte, realizou no alvorecer do dia 14 de maio último, o lançamento bem sucedido de um míssil balístico.

Este artefato, considerado como de alcance médio, ganhou o batismo “Hawsong-12” e segundo comunicado oficial emitido teve o seu desenvolvimento ultimado recentemente.

O míssil Hawsong-12 foi apresentado junto com o seu veículo transportador na parada militar realizada em comemoração ao 105º aniversário do fundador Kim Il Sun avô do atual líder Kim Jong Un. O míssil foi disparado na madrugada de 14 de maio, mais precisamente as 04:58 (04h58min), atingindo o apogeu de 2.111,5 km, tendo acertado a área delimitada em alto-mar (mar do Japão) a 787 km de distância do ponto de lançamento. O voo teve a duração de 30 minutos, aproximadamente.

O lançamento realizado com sucesso teve por missão confirmar os parâmetros do projeto, qualificando o vetor como sistema de arma viável, visto que as características de estabilidade, estrutura e resistência compressiva, navegação (inercial) e confiabilidade do motor foguete (sólido) mostraram-se adequadas, ou seja, dentro dos parâmetros esperados.

Observa-se que o teste em questão realizou-se com lançamento visando um apogeu extremo, elevado, com intuito de não alongar distância para a área-alvo, levando em conta, desta maneira, a segurança dos países vizinhos no tocante à navegação aérea e naval..

O míssil Hawsong-12 é capaz de levar uma ogiva nuclear, todavia, não houve por parte do regime a revelação de dados técnicos relativos à carga útil capaz de ser lançada pelo vetor. É interessante notar que o lançamento teve lugar em um local ermo, tendo o vetor sido transportado pelo seu veículo transportador dedicado, realizado em horário singular,  além de o ser acompanhado pelo líder nacional Kim Jong Un, que testemunhou o sucesso do teste.

 

Anúncios

O Estado Islâmico sofre mais uma derrota em Deir Ez Zor

Por: César A. Ferreira

Os combatentes do Estado Islâmico colhem mais um insucesso, segundo informe do site South Front.

Forças combatentes do Estado Islâmico lançaram uma ofensiva no eixo de Deir Ez Zor, mas foram rechaçadas por regimentos da Guarda Republicana Síria e das Forças de Defesa Nacional (FDN). A unidade que suportou com sucesso a investida dos jihadistas foi o 137º Regimento da Guarda Republicana Síria.

A ação dos combatentes do EI – Estado Islâmico, deu-se por meio de uma infiltração entre as linhas, procurando flanquear os elementos do 137º regimento, este, posicionado a oeste do monte Sonouf. O resultado da batalha foi mais do que adverso para os atacantes, visto que em sequencia imediata ao sucesso defensivo as formações do 137º regimento empreenderam um contra-ataque relâmpago chegando às portas das posições terroristas no distrito de Al-Rasafa, cidade de Deir Ez Zor.

Além do contra-ataque efetuado com elementos da infantaria, houve o bombardeio das posições extremistas por meio dos dispositivos de artilharia desdobrados pelas forças governamentais, presentes no local. Foram alvo de fogo as localidades de Al-Makaber, Al-Omal, bem como da colina Al Sonouf. Dois comandantes do EI foram mortos durante os combates, sendo estes Abu-Ammar al-Iraqi e Abu Sayaf Hassrat.

As forças governamentais colhem louros no caldeirão de Der Ez Zor, como no caso da conquista da companhia de eletricidade, aproximando-se assim das posições isoladas do aeroporto, igualmente mantidas pelas forças do governo sírio. Os eventos na medida em que se sucedem em favor das tropas legalistas, que estão cercadas, resultam em grave desabono moral para as forças terroristas, visto que estas não conseguem suprimir elementos combatentes cuja fonte de abastecimento é aérea.

Soleimani ferido! (Não confirmado)

Por: César A. Ferreira

Notícias ainda não confirmadas, advindas de membros de organizações e ativistas de mídia afeitos às forças de  oposição ao regime da República Árabe da Síria, relatam que o eminente Major General do Corpo da Guardas Revolucionária Islâmica (Irã), Qasem Soleimani, comandante em campo da Força Quds, teria sido ferido na proximidade da fronteira síria-jordaniana. Assim reporta o site South Front.

O evento que teria implicado em ferimentos na pessoa de Soleimani aponta a localidade de Daraa, e consistia em uma ação repressiva contra a entidade Hayat Tahrir al-Sham, que vem a ser o batismo atual da conhecidíssima Jabhat al-Nusra (mudam de nome repetidamente para serem considerados como “rebeldes moderados” como se esta ficção enganasse alguém fora do Departamento de Estado). A al-Nusra, como se sabe, é a entidade afiliada à Al-Qaeda na Síria.

A Força Quds, unidade especial do IRGC1, desdobrou-se para Daraa, juntamente com elementos das forças armadas sírias com o intuito de estabilizar a região daquela capital provincial.

A notícia, que carece de confirmação, assume importância devido ao carisma e capacidade de liderança de Soleimani, cuja perda seria um golpe difícil de ser absorvido com facilidade.

[1]: ingles –   Islamic Revolutionary Guard Corps.